Inovação e Proteção: O futuro dos dados

Atualizado: 29 de abr. de 2021



A revolução foi algo natural, em um dia tínhamos internet discada e tecnologia gsm para celulares, os grandes projetos eram implantações de bons e velhos ERP´s, e infraestrutura Cloud era apenas uma teoria. A evolução da sabedoria, e revolução dos dados foi implacável, porém, também vivenciamos preocupações sobre o quanto estávamos preparados para lidar com tal avanço. Podemos dizer que estes passos e preocupações sempre permearam há humanidade sobre “Inovação vs Proteção”, de um lado uma vontade absurda de se superar, e fazer cada vez mais, mais rápido e mais eficiente, porém, sem perder o controle e segurança das conquistas e habitat natural.

Dessa forma, como em piscar de olhos, acompanhamos avanços como Inteligência Artificial, Machine Learning, IoT, Blockchain, Cloud Computing, humanóides, tecnologia 5G, entre outras, a evolução foi avassaladora, basicamente, um “passo” de 10 anos, que equivalente a 300 anos, pensando no ponto de partida, para os dias atuais.


A pergunta que fica é: O quanto evoluímos em Proteção, quando pensamos no contrabalanço?

Quando falamos sobre o crescimento e amadurecimento da Proteção dos Dados, tivemos movimentos importantes em nossa história, dando-se início em 1948, quando em uma declaração universal de direitos humanos pela ONU tornou o direito à privacidade um direito fundamental, nos anos 70 e 80 a Europa falava de direito a personalidade e direito à privacidade, em 1981 surgiu a Convenção 108 que tratava a proteção de indivíduos ao tratamento de dados de caráter pessoal, na Diretiva de 95/46, organizou-se o controle ao tratamento e processamento de dados pessoais, e até que enfim em 2016, surge o regulamento geral de proteção de dados para comunidade europeia (GDPR). Tivemos outros movimentos nas Américas, mas a UE sempre se colocou a frente nestes temas, talvez, pelas “feridas” que a história deixou em seu território.


De qualquer forma, quando falamos de presente/futuro, todos os modelos discutidos para Privacidade e Proteção de Dados, precisarão ser atualizados e revistos constantemente, temos que ter mais intrínseco os controles de Segurança, para assegurar e garantir a proteção dos dados, e este movimento é natural, pois, se os dados estão em constante evolução as leis de proteção precisão acompanhar no mesmo ritmo, senão, teremos leis ineficazes, onde a população não acredita em sua aplicabilidade, ou , teremos uma judicização de penas e sanções administrativas, que não servirão para um contexto disciplinatório.


Sendo assim, onde precisamos acertar? Inovação e Proteção devem estar em perfeito equilíbrio, não porque onde começa o direito de um, termina o do outro, mas sim, porque atualmente os direitos se inter-relacionam em todos os momentos, onde começa o direito de um indivíduo, começa do outro também, estes são os “milagres” de um mundo digital. Para acertar neste balanço, será necessário uma grande dose de Governança, tendo em seus pilares controles de segurança da informação e cibernética, processos maduros de privacidade e proteção de dados, e novamente entendendo que o que há no centro da Inovação e da Proteção, são as Pessoas, ou seja, precisamos investir (e muito) em conscientização, treinamento e principalmente engajamento, para que todas possam sentir e desenvolver um propósito maior, o propósito e a crença de estarmos fazendo história!


por Sylvio Sobreira



29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo