“O mais importante para o sucesso de uma companhia, está em entender e prever as necessidades de seus clientes.”

Sylvio Sobreira Vieira

CEO & Head Consulting at SVX

Nossos Serviços

Privacy & Data Protection

  • Criação de um Programa de Privacidade;

  • Implementação e Adequação para LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais;

  • Implementação e Adequação para GDPR – General Data Protection Regulation;

  • DPO – Data Protection Officer;

  • LGPD para Startups (LGPD Superleggera).

Cybersecurity & IT Governance

  • Implementação e consultoria para Segurança da Informação;

  • Consultoria para certificação ISO/IEC 27001;

  • Implementação da Governança de TI;

  • Transformação de TI e Governança de Dados;

  • Gestão de Crises e Continuidade de TI;

  • Estratégia, Governança e Monitoramento para Segurança cibernética.

IT Risk Advisor

  • Diagnóstico de processo;

  • Assessment de Controles Gerais de TI;

  • Estruturação e Compliance de TI;

  • Plano de Resposta a Auditorias Internas, Externas e Regulatórias;

  • Gestão e avaliação de Riscos de TI;

  • Tratamento de Riscos de TI.

Transformation & Innovation

  • Design de serviços/thinking;

  • Análise, mapeamento, desenho, modelagem e melhoria de processos;

  • Criação e revisão de Indicadores;

  • Gerenciamento Ágil de Projetos;

  • Change Management;

  • Avaliação e Gestão de Fornecedores e Contratos.

pexels-francesco-ungaro-998641.jpg
Brasil.png

LEI GERAL DE PROTEÇÃO DE DADOS PESSOAIS

  • A lei relativa à proteção de dados pessoais, publicada em agosto de 2018, chama atenção para um exame mais atento da questão do vazamento de informações pessoais, e para o fato de que as empresas precisam efetivamente cuidar da boa governança dos dados que colhem dos seus clientes.

  • Essa regulação, a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) complementa o Marco Civil da Internet, de 2014, com o objetivo de proteger dados tratados no Brasil, na esfera digital ou fora dela, por qualquer tipo de empresa ou órgão público. Ao final do ano de 2018, no dia 27 de dezembro, a Medida Provisória 869 instituiu a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), órgão governamental integrante da Presidência da República, com autonomia técnica para suas decisões, a quem competirá fazer cumprir a lei. Além da ANPD, a medida provisória trouxe algumas modificações à lei original, destacando-se o fato de que “encarregado” – nos termos da lei o responsável pela comunicação entre o controlador dos dados, seus titulares e a autoridade nacional, poderá ser tanto uma pessoa física como uma pessoa jurídica, facilitando, assim, para as empresas, a adequação às normas de proteção de dados.

  • A lei, inspirada no Regulamento Geral de Proteção de Dados da União Europeia (GDPR – General Data Protection Regulation), em vigor desde maio de 2018, passará a vigorar no Brasil em agosto de 2020, mas desde já é preciso que as empresas se preparem. 

  • Mas, quando se trata de violação de dados, o que está feito, está feito. Os danos, infelizmente, não podem ser reparados. O mais publicamente perceptível desses danos é o que afeta a reputação das empresas, que podem perder de imediato a imagem que levaram anos, ou até décadas, para construir.

  • A principal meta é garantir a privacidade dos dados pessoais das pessoas e permitir um maior controle sobre eles. Além disso, a lei cria regras claras sobre os processos de coleta, armazenamento e compartilhamento dessas informações, ajuda a promover o desenvolvimento tecnológico na sociedade e a própria defesa do consumidor.

lgpd.png